Passar para o conteúdo principal

História da PiLeJe

O percurso até aqui

Em finais dos anos oitenta, o Dr. Christian Leclerc estava a trabalhar como médico de família numa comunidade rural. A repetida observação dos seus pacientes nas consultas sugeria um padrão que acabou por se impor como facto: a maioria queixava-se de distúrbios funcionais como fadiga, irritabilidade e problemas digestivos.

Deu-se conta de que a medicina tradicional, que trata a doença receitando medicamentos para sintomas específicos, não lhe permitia tratar estes sintomas como gostaria de fazer. À sua volta, outros colegas chegavam à mesma conclusão - as pessoas vinham frequentemente consultá-los sobre questões funcionais para as quais eles não possuíam um tratamento adequado. 

Pouco a pouco, Christian Leclerc teve de reconhecer uma convicção clara: se quisesse dar resposta às necessidades dos seus pacientes, teria de utilizar uma abordagem diferente para o tratamento. Com o apoio dos seus colegas, considerou todas as diferentes disciplinas que poderiam oferecer uma solução e começou por analisar a nutrição. Foi este o ponto de partida para uma nova disciplina que iria proteger e manter a saúde tomando micronutrientes: a micronutrição.

Thumbnail

Medicina nutricional

Micronutrientes como vitaminas, minerais, oligoelementos, ácidos gordos essenciais e probióticos, afetam a nossa saúde. Não curam sintomas, mas podem corrigir, caso a caso, muitos dos desequilíbrios do organismo que causam distúrbios funcionais.

Esta certeza, Christian Leclerc não se limitou a aceitá-la apenas como convicção - a investigação continuada provou que existe uma ligação entre a nutrição, a saúde e a prevenção. Havia determinados fatores que o intrigavam especialmente - o funcionamento do ecossistema intestinal e, em particular, o papel desempenhado por algumas bactérias intestinais, ou o modo como o ácido alfa-linolénico (omega-3) afeta a saúde cardiovascular. Reparou que um défice de micronutrientes, que é a fase que precede a carência declarada, pode afetar a saúde de uma pessoa, como acontece com as reservas de ferritina na fase inicial da gravidez.

Microbiota: da intuição médica à realidade científica

A PiLeJe foi fundada em 1991 e a sua primeira área de investigação foi a microbiota intestinal. A PiLeJe deu-se conta de que os cem biliões de micro-organismos que vivem no intestino poderiam ter um enorme impacto na saúde e demonstrou isso mesmo com o seu primeiro produto, um suplemento alimentar que continha estirpes microbióticas. 

Foi depois levado a cabo um vasto trabalho de investigação bibliográfica, clínica e industrial para caracterizar as estirpes probióticas, descobrir como elas afetam a saúde e determinar quais as doses mais benéficas.

Este processo levou ao desenvolvimento de toda uma gama de produtos, que continua ainda hoje, com novas descobertas da investigação médica e científica.

Thumbnail

Tratamento personalizado

Dez anos depois da sua criação, a PiLeJe investiu numa nova área de conhecimentos: a fitoterapia clínica individualizada. Utilizando extratos de plantas frescas padronizados (EPS na sigla francesa), cujos efeitos podem ser reproduzidos, a fitoterapia permite adaptar os produtos ao perfil individual do paciente. 

Da mesma forma, a micronutrição significa que as pessoas podem ser tratadas de acordo com as suas circunstâncias individuais, consoante os sinais específicos do seu problema, porque um conselho só será realmente útil se responder exatamente a todas as necessidades existentes.

Thumbnail

Ao encontro de outros horizontes nutricionais

Em 2012, a PiLeJe  entrou numa nova área que complementava as suas outras áreas de conhecimento, a área de nutrição médica. Esta área de apoio nutricional a pessoas com excesso de peso utiliza um método de nutrição comportamental individualizada  para ajudar os pacientes a obter um peso mais saudável e a manter esse peso a longo prazo.
Utilizando técnicas especiais de monitorização do paciente, os médicos de família podem combinar o aconselhamento nutricional com a orientação comportamental, tendo em consideração o facto de que cada pessoa é um caso único e tem o seu próprio perfil metabólico e as suas necessidades específicas. Olhando para o futuro, a PiLeJe tenciona tratar de outras questões médicas relacionadas com a alimentação, como a subnutrição nos idosos e a orientação alimentar para doenças crónicas.

Thumbnail